A biomassa, energia renovável e limpa

O especial cuidado com o meio ambiente e respeito absoluto pelo ecossistema foram os motivos que levaram a Ecoforest a realizar grandes investimentos na investigação e no desenvolvimento dos seus produtos, permitindo alcançar altos rendimentos e escassos consumos, empregando exclusivamente lenha e pellets, combustíveis produzidos pela natureza que volta para a natureza graças a um constante fluxo circular. O nosso país dispõe de amplas áreas de bosque e é capaz de oferecer uma grande quantidade de lenha, recursos com o qual se pode obter notáveis vantagens:

  • Está provado que a madeira, quando realiza o ciclo completo de decomposição. Liberta para a atmosfera uma quantidade de CO2 (dióxido de carbono) que é aproveitado posteriormente no crescimento e desenvolvimento de novas plantas.
  • 2.3Kg de madeira seca têm um poder calorífico igual a 1 litro de gasóleo ou de 1m3 de gás natural. À igualdade de benefício, o que muda é apenas o custo, em que a compra da lenha é inferior em 50-60%, relativamente a outros combustíveis.

A biomassa, energia renovável e limpa

O termo da biomassa introduziu-se para designar aqueles materiais de origem orgânica (vegetal ou animal) que não sofreram nenhum processo de fossilização e que empregam na produção de energia.

As biomassas formam parte das fontes renováveis uma vez que o CO2 emitido pela produção de energia não representa um aumento do Dióxido de Carbono presente no meio ambiente, mas o mesmo que as plantas absorveram antes de se desenvolverem e que a sua norte devolverá á atmosfera, através dos processos normais de degradação da substância orgânica. O emprego da biomassa acelera o retorno de CO2 à atmosfera, deixando-o novamente disponível para as plantas. Na prática, estas emissões voltam ao ciclo normal do carbono e estão entre o CO2 emitido e o absorbido.

A valorização energética dos materiais orgânicos, contribuem para a produção de energia térmica e para a produção de energia elétrica (instalações de tamanho médio, grande), contribuindo para limitar as emissões de Dióxido de carbono e, portanto, cumprindo os compromissos do Protocolo de Kyoto.